domingo, 30 de outubro de 2011

Vestir poderia ser somente um requisito para não "atentar contra o pudor", como eu brinco às vezes: " Me visto para não ser presa", mas é muito mais que isso, afirmo que se vestir está intimamente ligado ao o que você é ou tenta ser.
Poderia dizer que conforto é o suficiente, mas como justificaria os meus sapatos de salto altos e altíssimos?
O cuidado ao se vestir não se restringe à moda, grifes ou um corte perfeito, mas acima de tudo ao bom senso, isso se desenvolve com um bom espelho e ouvidos aguçados. Sabe aquela regra de trânsito "Na dúvida não ultrapasse", pois ela se encaixa para muitas coisas na vida inclusive na hora de fazer seu acervo de roupas, calçados e acessórios, pois nem tudo que está no auge da moda ou acho lindo naquela atriz fica bem nas pobres mortais como eu.
Salvo alguns looks que encontro em blogs e sites e vou partilhar, mas lembre-se que minhas escolhas estão intimamente ligadas ao meu jeito de ver a vida e não propriamente o que é lindo, na moda ou lançamento de grifes (coisa não faz parte do meu cotidiano).









domingo, 23 de outubro de 2011

Festas, reuniões e comemorações

Se reunir com as pessoas amamos e comemorar vitórias, anos de vida, conquistas e outras coisas que enche nossos corações de alegria é muito bom!
Participamos de algumas festas, mas agora se aproxima o período do ano em que faltam dias em nosso calendário para tanto evento, então vou deixar algumas dicas de decoração simples para usar em festa as imagens são acervo de algum tempo e não sei informar a fonte.

 Não podia começar sem um coração, rsrs

 Amei essa ideia, simples e com um efeito lindo, sabe aquele jantar à dois?! hum...


 Essas sugestões para festas ao ar livre são muito boas AMEI em especial o uso dos livros, muito bacana!






Agora é só convidar os amigos.
Perca o medo de receber as pessoas em sua casa, é muito bom conversar e dividir o que temos com as pessoas queridas. Lembre-se a vida é curta, pra quê guardar as louças no armário?

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Artesanatos do coração

Aaaaamo artesanato, sinto falta de dedicar umas horinhas nesse ócio prazeroso.
Mas as idéias não ficam longe do coração... rsrsrsrs

















São ideias fofas e singelas...

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Querer NÃO é poder!

"A gente não quer só comida
A gente quer comida
Diversão e arte..."
(Titãs/
Composição: Arnaldo Antunes / Marcelo Fromer / Sérgio Britto )


     Outro dia conversando com uma colega sobre nossos alunos, ela fez uma brincadeira na qual me despertou para algumas questões de nossa sociedade atual. A conversa era sobre o domínio da Língua Portuguesa, e a professora disse: “Eles (alunos) conjugam muito bem os verbos PODER e QUERER, preferencialmente na primeira pessoa do singular.” Rimos e concordamos em uníssono.
     Mais tarde parei e me perguntei: O que eles podem? O que eles querem? 
    O poder é tão vasto e complexo que vou deixar para a Constituição, a religião e a família responder; limito-me a falar do querer. Mesmo porque não é um verbo exclusivo da linguagem juvenil.
    Desde os primórdios a humanidade não se limita em suprir suas necessidades, que por sinal são as molas propulsoras do progresso. Ghandi já dizia: “Há o suficiente no mundo para todas as necessidades humanas, não há o suficiente para a cobiça humana.”
    Arnaldo Antunes dá uma amostra em sua música de que ele quer mais, mas o que nós queremos? Existe um limite para o querer? Quando deixa de ser necessário e passa a ser supérfluo?
    Duas décadas atrás se vivia bem sem internet, e hoje? Não falo de Google, Facebook e afins, falo de uma esfera maior (útil) como bancos, escolas, NASA, etc...
   O homem tem criado novas necessidades que passam ser tão fundamentais e necessárias até mesmo para sua sobrevivência.
   Então o que “coloco em xeque” aqui não é o QUERER, mas o que se tem feito pra suprir esses desejos.
   O pensamento e a consciência são frutos da necessidade, mas alguns agem irracionalmente em nome de um querer imediato. A psicologia define esse comportamento como a “incapacidade de adiamento de prazer”.
   Muitos de nós trabalhamos 8 a 12 horas diárias e continuamos com dívidas e financiamentos a perder de vista. Devemos então refletir: Quero, mas posso?
Se dizem que posso, qual a conseqüências desse poder que me é oferecido?
   Um amigo da família brinca dizendo: “O dinheiro de comprar fiado nunca acaba.” E há muita verdade nisso, hoje o poder de compra está “democratizado”, em muitas lojas e financiadoras não é exigido comprovante de renda ou até mesmo consulta aos serviços de proteção ao crédito (SERASA).  Ou seja, você pode estar endividado, desempregado e ainda aumentar seu saldo devedor. Só espero que não te vendam uma corda fiado, pois suicida não paga as contas.
   Pode até ser um chiste de mau gosto, mas as dívidas tem sido sim uma das causas de doenças emocionais. Quem está endividado se sente prisioneiro, humilhado e fracassado, mesmo o mais “caloteiro” da praça não usufrui de paz interior.
   Finalizo afirmando que não há nada de errado no querer, mas sugiro que avaliemos melhor como poderemos saciar ou não esses desejos.

Acima de tudo o que tenho, e quero, está o que SOU!

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Dia das crianças

Hoje o COMÉRCIO comemora o Dia das Crianças!
O dia das crianças e outras datas comemorativas são motivo de alegria para a maioria dos comerciantes, mas as crianças o que ela podem comemorar em nossa sociedade?
O Estatuto da Criança e do Adolescente é ótimo, mas não chega nos lares em que o abuso sexual é prática cultural, não chega na casa de crianças (algumas eu conheço) que toda a família é usuária de craque, não atende aquele menino que só tem as opções do errado e do muito errado para o seu futuro.
Hoje eu penso mais sobre como melhorar o DIA dessas crianças.
Pense e aja!
Pare um pouco e saiba como vivem as 2 bilhões de crianças em nosso mundo.
http://www.unicefkids.org.br/pag_texto.php?pid=6
http://ucob.tempsite.ws/amt/noticias/ver.php?cod_noticia=978